Primavera ocasiona o aumento de doenças respiratórias

Pólen, tempo seco e poluição contribuem para o aumento de sintomas de doenças como rinite alérgica, asma, conjuntivite alérgica, entre outras doenças respiratórias

Durante a primavera – que começa nesta quinta-feira (23) à 0h09 – as pessoas que são sensíveis ao pólen podem apresentar aumento dos sintomas de doenças como rinite alérgica, asma, conjuntivite alérgica, entre outras doenças respiratórias. A rinite ocasionada pelo pólen é denominada como polinose.

Além do pólen, outro fator que pode desencadear crises de doenças respiratórias nesta época do ano são alterações climáticas que ocorrem na passagem do inverno para a primavera. "Alterações de temperatura e até da quantidade de chuva favorecem recaídas de doenças respiratórias", explicou o médicoOdair de Floro Martins, pneumologista do Hospital Evangélico e professor do curso de Medicina da Faculdade Evangélica. Segundo Martins, os efeitos da transição da estação são sentidos de forma mais intensa 15 dias antes e 15 dias depois do início da primavera.

Já o médico pneumologista Marcelo Kuzmicz, do Hospital Evangélico afirmou que outras condições do ar, como quente e seco ou então excessivamente úmido, também podem piorar o quadro das doenças respiratórias na primavera.

Kuzmicz disse ainda que – como a previsão do tempo para a estação indica que pode haver períodos de estiagem – agentes como a poeira e componentes da fumaça e poluição também agravam os sintomas das referidas doenças.

Entre os sintomas mais comuns da rinite alérgica estão: coceira no nariz, ouvidos, olhos, céu da boca, espirros, corisa, narinas obstruídas, entre outros. No caso da asma, a pessoa poderá ter tosse seca, falta de ar, chiado e dor no peito, entre outros. E a conjuntivite alérgica causa coceira nos olhos, vermelhidão e sensibilidade à luz.

Saiba algumas medidas que pessoas com doenças respiratórias e aquelas que sofrem com o tempo seco podem adotar para minimizar o desconforto:

 

Publicidade

 

– Beba bastante água, pois com o tempo seco perde-se mais liquido pela respiração e também pelo suor.

– Hidrate as narinas com soro fisiológico ou água.

– Utilize aparelhos umidificadores ou vaporizadores do ambiente ou coloque bacias com água nos cômodos. A medida deve ser adotada principalmente para minimizar o desconforto de crianças e idosos.

– Se for alérgico, evite ter carpete nos quartos. No caso do piso liso será possível passar um pano úmido, pois quando se varre o quarto espalha-se mais poeira.

– Quem tem algum tipo de doença respiratória deve utilizar roupas de cama antialérgica.

– Evite ter no quarto plantas, animais e bichos de pelúcia, porque podem ser responsáveis por ampliar os sintomas de doenças respiratórias.

– Com a indicação de um médico, as pessoas com doenças respiratórias poderão utilizar sprays nasais ou bucais antialérgicos.

– Com o tempo seco, principalmente, tenha cuidado com a exposição excessiva ao sol.

Fontes: Odair de Floro Martins e Marcelo Kuzmicz, médicos pneumologistas do Hospital Evangélico.

Fonte: Gazeta do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *