Importância da vacinação em diferentes tipos de idade

O ato de vacinar é a forma mais fácil de proteger o organismo contra doenças infecciosas potencialmente graves e de prevenir que essas doenças sejam transmitidas a outras pessoas.

Segundo Dra. Érica Ferreira Alves, médica pediatra e endocrinopediatra, diferente do que muitas pessoas acreditam, não são somente as crianças que precisam de vacinas: Todas as faixas etárias necessitam ser vacinadas. Existe calendário vacinal para crianças, adultos, idosos, gestantes e viajantes. Existe também vacinação fora do calendário vacinal, quando há alguma epidemia ou surto de doenças infecciosas que estavam controladas ou que já tinham sido erradicadas e voltaram a aparecer na população.

O Ministério da Saúde, a Organização Mundial de Saúde e outros órgãos especializados, orientam que a vacinação seja realizada conforme a faixa etária, como determinado nos calendários vacinais. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, as principais vacinas para as crianças são: BCG ID, hepatite B, DTP/DTPa, dT/dT pa, HIb, VIP/VOP, pneumocócica conjugada, meningocócica, rotavírus, febre amarela, hepatite A, SCR/Varicela/SCRV e Influenza. Meninos e meninas a partir de 9 anos de idade devem também ser vacinados contra HPV.

No caso dos adultos com idade entre 20 e 59 anos recomenda-se as seguintes vacinas: hepatite B, difteria e tétano, febre amarela e tríplice viral. Em pessoas com 60 anos recomenda-se ainda a influenza e a antipneumocócica.

A médica conta que há um alerta recente para a Poliomielite (Paralisia Infantil). Os últimos casos de poliomielite registrados no Brasil foram em 1989 e em 1994 o país recebeu certificado de erradicação da doença, juntamente com os demais países das Américas. Em maio de 2014, a OMS emitiu a Declaração de Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional devido aumento dos casos de polio no mundo.

Já foram registrados 94 casos e 10 países estão sob alerta, dentre estes estão países da África e Oriente Médio. Com o aumento das viagens internacionais e dos turistas para a Copa do Mundo, existe a possibilidade de circulação do poliovírus no país e a chance do retorno da doença. Por isso, é importante que as crianças sejam imunizadas com as vacinas de rotina (calendário vacinal) e que participem das campanhas nacionais de vacinação, lembra.

Uma das vacinas mais difundidas no inverno é a contra a gripe. A gripe é uma doença respiratória aguda causada pelo vírus Influenza (Myxovirus Influenzae) da família Orthomixoviridae que provoca febre, prostração, mialgia e cefaléia. Em algumas situações, pode levar a quadros mais graves como pneumonias. É transmitida de uma pessoa para outra por via respiratória. Condições como aglomeração de pessoas em lugares fechados favorece a transmissão, principalmente como ocorre no inverno, explica Dra. Érica.

Ao se viajar para áreas onde há alta incidência de casos de febre amarela como Amapá, Tocantins, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Acre, Roraima, Amazonas, Pará, Goiás, Distrito Federal e alguns países da América Latina, África ou Ásia, pelo menos dez dias antes de embarcar, é preciso se vacinar contra a doença. A vacina contra a febre amarela é válida por dez anos.

Outra vacina que também é importante em casos de viagens para regiões com saneamento básico precário, como o norte e o nordeste do Brasil, Ásia e África é a contra a febre tifóide.

Vale lembrar

O tempo de ação é variável de acordo com cada vacina. E, como qualquer outra substância, a vacina pode apresentar efeitos colaterais, como por exemplo, reação de hipersensibilidade aos componentes da vacina. Indivíduos com deficiência imunológica grave devem procurar um médico antes de tomar qualquer vacina.

No Brasil, o Ministério da Saúde oferece as principais vacinas, mas não todas. Algumas só são encontradas em clínicas particulares.

Para saber se a sua carteirinha de vacinação está em dia, basta leva-la ao Posto de Saúde mais próximo ou ao pediatra, infectologista, clínico geral ou ginecologista para fazer a verificação.

Fonte: ADJ – Diabtes Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *