Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional

No dia 13 de outubro é comemorado o Dia Nacional do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional. Essa data foi escolhida por representar o dia da criação dessas profissões e era comemorada anualmente pela categoria, apesar de não ser reconhecida por lei. Em janeiro de 2015, no entanto, a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 13.084, que estabeleceu oficialmente a celebração da data em todo território nacional.

A fisioterapia é uma área da saúde envolvida com o estudo, prevenção e tratamento de lesões no corpo humano decorrentes de traumas e doenças adquiridas ou genéticas. O profissional dessa área é denominado de fisioterapeuta e deve ter formação acadêmica superior nessa área.

De acordo com o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO), as diferentes áreas desse campo de atuação são fisioterapia clínica, saúde coletiva, educação e outras. Na fisioterapia clínica, o profissional está habilitado a atuar em hospitais, clínicas, centros de reabilitações, entre outras unidades de saúde. Na saúde coletiva, o fisioterapeuta é responsável por promover ações que garantam a saúde de grupos de pessoas, podendo participar, por exemplo, de programas de fisioterapia do trabalho e de ações básicas de saúde. Na área da educação, o profissional pode atuar em cursos de graduação e pós-graduação, além de realizar pesquisas no campo. Por fim, a área classificada como “outras” engloba o desenvolvimento de equipamentos e produtos para fisioterapia e a atuação na área esportiva.

O fisioterapeuta, portanto, possui uma atuação que vai além da reabilitação após acidentes e traumas, sendo essencial na prevenção de lesões graves e na promoção da saúde. Entre os importantes papeis desempenhados por esse profissional, podemos citar a terapia realizada com pacientes com problemas respiratórios e pessoas que passam grandes períodos internadas em hospitais, como em UTIs, bem como a melhoria da qualidade de vida de idosos, com ações que melhorem problemas musculares e de coluna.

terapia ocupacional, por sua vez, é uma área relacionada com o estudo, prevenção e tratamento de problemas físicos, mentais, emocionais e sociais que dificultam a realização das atividades diárias de um paciente. Durante o tratamento, o profissional deve buscar meios para que a pessoa, aos poucos, consiga realizar essas tarefas, garantindo assim seu bem-estar e independência.

Para exercer a profissão, faz-se necessária a realização de um curso superior em terapia ocupacional. Após adquirir a formação adequada, esse profissional pode atuar em empresas, ambulatórios, clínicas, creches, escolas e sistemas prisionais, além de poder realizar projetos sociais. Vale destacar que o terapeuta ocupacional tem que lidar com pessoas com dificuldades no desempenho de tarefas simples, sendo fundamentais paciência e amor pela área escolhida.

Tanto a Fisioterapia quanto a Terapia Ocupacional são fundamentais para a promoção da saúde e bem-estar da população em geral. Sendo assim, nada mais justo que homenagear esses importantes profissionais todos os anos.

Fisioterapia é uma ciência dentro da área da saúde que busca estudar, tratar, prevenir e reabilitar distúrbios cinesiológico-funcionais do ser humano em sua globalidade. Tais distúrbios podem ser constatados decorrentes de disfunções dos sistemas músculo-esquelético, cardiorrespiratório, gastroenterológico, endócrino, vascular e neurológico. Dentre os sistemas, as disfunções podem se classificar como congênitas (genéticas) ou adquiridas, através de traumas ou como mecanismos adaptativos que o corpo busca para manter a funcionalidade. Sendo uma área com grande abrangência para atuação, ela possui grande importância desde a atenção básica, média ou mesmo de alta complexidade diante das disfunções apresentadas. A atuação do fisioterapeuta inclui locais como: ambulatórios, consultórios, centros de reabilitação, hospitais, clínicas, vigilância sanitária, empresas (fisioterapia do trabalho), programas institucionais, direção e coordenação de cursos, docência (níveis secundário e superior), supervisão técnica e administrativa, clubes desportivos, indústria de equipamentos de uso fisioterapêutico, escolas, entre outros.

 

Os estudos da fisioterapia, tanto para o entendimento quanto para o desenvolvimento de suas técnicas de reabilitação se baseiam nos preceitos da biologia, histologia, citologia, embriologia, fisiologia, anatomia, anatomopatologia, biofísica, cinesiologia, biomecânica, química, farmacologia, imunologianeurociência e até mesmo aspectos voltados à antropologia, ética, sociologia, filosofia, deontologia e demais ciências voltadas à formação humana. Cada uma dessas áreas deve ser entendida desde seus princípios para que possa se buscar a melhor forma de tratamento, buscando a funcionalidade do ser humano. Sendo assim, o diagnóstico proposto pela fisioterapia restringe-se às limitações que o corpo pode apresentar através do movimento, sendo denominado como diagnóstico cinético funcional.

Uma das principais características da fisioterapia se volta para a reabilitação, sendo esse um processo que busca a reinserção do indivíduo nos aspectos biopsicossocial. Através dessa busca, o fisioterapeuta reintegrará novamente a funcionalidade, adaptada ou não, para que o mesmo possa adquirir novamente sua independência perante à sua rotina diante da sociedade. Dentre as técnicas utilizadas para tal recuperação, utilizam-se os mais diversos recursos, como por exemplo: cinesioterapiaeletroterapiatermoterapia, fototerapia, crioterapia, técnicas manuais, acupuntura, equoterapia, hidroterapia, geoterapia, entre muitas outras técnicas que se encontram em constante estudo e desenvolvimento.

No que tange à atuação, pode ser dividida em diversas áreas, desde às clássicas até as que se encontram em constante crescimento, como:

  • Fisioterapia neonatológica, pediátrica e hebeátrica;
  • Fisioterapia gerontológica;
  • Fisioterapia dermato funcional;
  • Fisioterapia obstétrica e uroginecológica;
  • Fisioterapia neurofuncional;
  • Fisioterapia oncológica;
  • Fisioterapia traumato-ortopédica;
  • Fisioterapia cardiorrespiratória;
  • Fisioterapia orofacial;
  • Fisioterapia desportiva;
  • Fisioterapia clínica;
  • Fisioterapia hospitalar;
  • Fisioterapia intensiva;
  • Fisioterapia domiciliar;
  • Fisioterapia pericial;
  • Fisioterapia forense;
  • Fisioterapia do trabalho;
  • Fisioterapia em saúde coletiva;
  • Fisioterapia preventiva;

Conforme a legislação vigente no Brasil, todo o profissional formado em instituição de ensino superior graduado em fisioterapia, deve procurar reconhecimento profissional através do Conselho da profissão.

 

Fonte: Brasil Escola

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as novidadesCadastre-se para receber todas as nossas novidades

Cadastre-se para receber todas as nossas novidades

Fale conosco