Bebida alcoólica e fertilidade

O consumo de álcool é um grande inimigo da saúde podendo causar diversas doenças graves como infarto, hepatite e cirrose. No entanto, uma pesquisa feita pela clínica americana Reproductive Medicine Associates revelou que a ingestão de bebidas alcoólicas também pode causar problemas de fertilidade, tanto em homens quanto em mulheres.

A pesquisa analisou o comportamento de casais que já haviam falhado em pelo menos três tentativas de fertilização in vitro. O estudo apontou que as mulheres que não consumiram álcool tiveram 90% de chance de conseguir uma gravidez bem sucedida em até três anos. No entanto, durante o mesmo período, as mulheres que bebiam uma média de três taças de vinho por semana tinham a sua capacidade reduzida para 30%. Os cientistas também constataram que, mesmo aquelas que ingeriam apenas um ou dois copos de vinho por semana, dentro dos limites recomendados pelo governo americano para quem está tentando engravidar, tinham algum comprometimento na sua fertilidade, diminuindo as chances para 66%. 

Segundo o ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, Renato de Oliveira, o álcool pode afetar a produção hormonal feminina, as características sexuais, suspender a ovulação ou a qualidade dos óvulos, “o consumo excessivo de álcool, que está relacionado com alterações hormonais e lesão ao organismo, também afeta a fertilidade. A gravidez é mais fácil ocorrer em um corpo saudável. Quando há um desequilíbrio do mesmo, as chances diminuem. Para se ter uma ideia, a taxa de gravidez de uma mulher com idade até 35 anos, em ciclos naturais, varia entre 15 a 18% ao mês. Em casais nos quais as mulheres tem ciclos menstruais regulares e vida sexual ativa, ao longo de um ano, aproximadamente 85% deles alcançarão a gravidez. Com idade a partir dos 40 anos, este índice se reduz a 5% ao mês. Portanto, com consumo de álcool, estas chances diminuem, conforme relatado pelo estudo”, explica o especialista.

Nos casos em que o casal enfrenta problemas de fecundidade e decide optar pelos tratamentos de reprodução assistida, deve-se atentar cuidadosamente para as mudanças no estilo de vida. “Ao decidir fazer tratamentos de reprodução, o primeiro passo é adotar hábitos saudáveis e evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e demais substâncias as quais, de alguma forma, trazem efeitos negativos à saúde”, orienta Dr. Renato.

Fonte: Folha do Sudoeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as novidadesCadastre-se para receber todas as nossas novidades

Cadastre-se para receber todas as nossas novidades

Fale conosco